Menu

  O preço do tomate voltou a aumentar. EmItapetininga (SP), o produto é vendido nas feiras livres por aproximadamente R$ 5. A elevação, segundo os produtores, foi o fim da safra do início do ano, além de estiagem entre os meses de janeiro e fevereiro que prejudicou a produção. A medida adotada pelos consumidores para não afetar a renda doméstica é diminuir o consumo e esperar novas ofertas.Nesse caso, uma das saídas é perder um tempinho a mais e andar pela feira para pesquisar. O aposentado José de Jesus Pires conta que costumava comprar até dez quilos de tomate por semana, mas agora ele e a família vão precisar diminuir o consumo. “Compro no máximo uns seis quilos, ou seja, levo menos agora”, ressalta.O tomate é um produto que sofre oscilações no preço durante todo o ano. Em janeiro, por exemplo, o fruto poderia ser encontrado por até R$ 2 o quilo. A aposentada Sueli Barros reclama e aponta que diversos produtos do setor de hortifrúti tiveram os preços reajustados para cima. “O tomate está quase impossível de se comprar. Não só o tomate, mais todos os legumes e verduras também. A alface, por exemplo, subiu muito”, diz.O preço disparou em uma semana e os revendedores estão pagando o dobro pela caixa de 20 quilos. O feirante Ezequiel Camargo afirma que até o fim de fevereiro comprava a mercadoria por R$ 30. Já no início de março teve que desembolsar R$ 60. Ele afirma ainda que a expectativa não é nada boa para os próximos dias. “Vai ficar mais caro ainda. Para normalizar a oferta, deve demorar ainda entre três e quatro meses”, comenta.Os feirantes afirmam que também ficam com prejuízo devido a essa instabilidade de preços e a diminuição de oferta do produto. A feirante Yurico Paiva afirma está difícil encontrar o fruto com boa qualidade. No caso dos tomates selecionados, a caixa pode chegar a R$ 100. O resultado,é menor abastecimento na banca para tentar amenizar os prejuízos. “Não está tendo o produto. A gente reserva, mas sempre pouco”, diz.
 
Top