Menu

 O tornado que atingiuTaquarituba (SP) em setembro de 2013 deixando dois mortos, 64 feridos e 400 casas prejudicadas, também afetou os sonhos de alunos e funcionários da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae). Isso porque parte de um centro de equoterapia que estava em construção foi destruído pela força do vento. O choque pela interrupção das obras foi grande, mas alunos e funcionários superaram mais uma vez as adversidades: a Apae retomou as obras e deve ter o centro funcionando em agosto deste ano.A sede deveria estar funcionando desde dezembro de 2013, se não fosse pelo fenômeno climático que durou dois minutos. No local ainda há entulho da antiga construção. A diretora administrativa da associação, Rosângela Maria da Silva, comenta sobre a retomada dos trabalhos. “É uma área com muito verde, um lugar muito bonito e gostoso. Logo vamos atender alunos com deficiência intelectual e física de 17 municípios”, afirma.A fisioterapeuta de equoterapia Maria Paula Riguetto conta que a sede vai proporcionar aos alunos tratamento físico e psicológico. A equoterapia é uma forma de desenvolver as capacidades motora e neurológica, além de ajudar na independência e contribuir para a integração com a sociedade. “Aproximação, tirar o medo, ver as reações das crianças diante do cavalo, um animal imponente. É esse o trabalho que fazemos e já está surtindo efeito”, explica.
FONTE G1
 
Top