Menu




Prefeitura de Itaí, através da Secretaria Municipal da Saúde, realizou a IV Conferência de Saúde. Com o tema: “Saúde Pública de qualidade para cuidar bem das pessoas. Direito do povo brasileiro.”
O evento aconteceu na Câmara Municipal e teve como palestrante Nielse Fattore da DRS VI de Bauru, ocasião em que foram debatidos oitos eixos:
Eixo 1 - Direito a Saúde, garantia de Acesso e Atenção de Qualidade - Que não ocorra o retrocesso, em função do que já se conquistou, do que já foi implantado. (Que não se feche serviços essenciais); a revisão do protocolo do SAMU para facilitar o acesso do chamado. (Que se tenha mais agilidade para realizar o atendimento, encaminhar o paciente ao seu serviço de saúde); aumento do acesso aos serviços de média e alta complexidade, garantindo os direitos do usuário; que se garanta o acesso a todos os medicamentos que estão nas listas do SUS nas três esferas de governo com revisão anual; que se garanta a qualidade no tratamento da saúde mental, com tratamento em liberdade em serviços oferecidos pela politica de saúde como os serviços CAPS, e não o tratamento em clínicas ou hospitais psiquiátricos; que os profissionais formados em universidades públicas, tenham serviço civil obrigatório de no mínimo 2 anos.
Eixo 2 - Participação Social - Reconhecimento e fortalecimento dos conselhos regionais perante o conselho estadual e o governo do estado; criar mecanismos que incentive a maior participação popular, buscando maiores financiamentos para nossa região.
Eixo 3 - Valorização do trabalho e da Educação em saúde - Ouvidoria para o profissional; escuta individualizada (prevenção ao trabalhador); prevenção à família (a todos os assuntos); maior investimento para as especialidades (dando maiores condições de trabalho); sobre carga de funções (uma única pessoa fazendo diversas funções); valorização do trabalhador dentro de sua atividade; autonomia para resolver os problemas impostos pelo funcionário.
Eixo 4 - Financiamento do SUS e Relação Público-Privado - O cumprimento da lei entre os entes do Estado; a revisão da tabela SUS; pensar em uma especificidade regional; que se inicie a revisão do teto financeiro dos municípios.
Eixo 5 - Gestão do SUS e Modelos de Atenção à Saúde - Conhecer a realidade do município para que os programas contemplem o contexto próprio do município, incluindo com verbas que atendam sua necessidade. Que isso seja garantido nas três esferas do governo; contemplar todos os territórios com os programas, por exemplo, o PIM. Uma pessoa da equipe capacitada para supervisionar o Programa; estimular a participação do usuário com os serviços de saúde e como responsável pela sua saúde, diminuindo o paternalismo depositado nos serviços. Continua-se a assistência, porém utiliza-se de processos educativos, e aproveitando-se dos próprios recursos da comunidade para incentivar este comprometimento; quanto aos recursos financeiros, que estes sejam revistos e sejam mais justos para a atenção à saúde, pois vivemos uma experiência de sucateamento dos Serviços, correndo riscos de extingui-los por não haver orçamento, uma vez que a prefeitura municipal está exaurida, assumindo maior participação nos custos do que lhe são devidos, bem como em relação às outras esferas do Governo. Além disso, que sejam criadas políticas que garantam as verbas independentes do governo partidário; fortalecer a atenção básica e as redes de atenção, com recursos financeiros de acordo com as necessidades dos habitantes, com um valor determinado conforme a faixa etária do sujeito, pois de acordo com a idade os serviços necessários se modificam, bem como com as características regionais, pois há municípios que têm um aumento no número de habitantes em épocas de safra, e o município acaba suprindo financeiramente o que não lhe é repassado pelas outras esferas nesta época. Que isso seja garantido longitudinalmente. 6. Sobre o modelo de gestão, incentivar que ocorra através dos grupos colegiados, com participação dos profissionais de saúde, os quais devem contribuir com as vivências de seu dia-a-dia na gestão dos serviços, e que sua participação seja acatada pelo gestor. Pensa-se que este modelo deve ser fomentado e fortalecido para as tomadas de decisões, independente de partido político.
Eixo 6 - Informação, Educação e política de comunicação do SUS - Criação de um boletim informativo do SUS; cursos de capacitação para todos os funcionários da rede e para pessoas leigas; que o ministério da saúde envie para o usuário o custo da internação e outros gastos; criar uma página onde mostre mensalmente valores gastos em cirurgia, exames, medicações, demonstrando transparência; informação e educação para o público para que serve cada setor- (upa, hospital, unidade de saúde) e quando deve ser usado.
Eixo 7 - Ciência, Tecnologia e Inovação no SUS - Implantar o e-SUS, bem como fomentá-lo; serviço de Internet acessível e resolutivo; havendo nos Serviços de Saúde aparelhos tecnológicos, que sejam contratados profissionais especializados para estas áreas específicas, como radiologia, cardiologia, ortopedia, psiquiatria, pelo valor do mercado, proporcionando à população, o acesso deste tipo de assistência; incentivar e valorizar as tecnologias leves.

Eixo 8 – Reformas Democráticas e populares do Estado - que o Estado e a união cumpram com os repasses estabelecidos pela legislação; revisão imediata dos valores da tabela SUS.
 



 
Top